sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Eu na Verbo 21...

in www.verbo21.com.br

agosto de 2008


Foto velha

Para Sandro Ornellas

Talvez a janela aberta,
seja este sopro,
um talho encravado na escarpa
da tarde

A imagem incrustada
(em preto e branco)
Obliqua.

Retina incerta.

Aquela fotografia antiga na estante.
O instante em que a gota desaba
acaba

A cena muda dos olhos,
incertos.

Talvez, a janela aberta
seja o símbolo,
o assombro do instante.

A moldura gasta
onde vejo distraído
aquela foto velha...

Cavalgada
P/ José Inácio Viera de Melo

Perto das cercas,
acesas asso meus pés descalços
cassando cacimbas.

Dos pastos flamejam estrofes,
e as vacas ruminam poemas.
Corto com facão e versos estes
varedos.

Amarro a peia na vasta porteira
da rima

risco, arriscando laços, infinitos...
E aflito, aboio esconderijos.

3 comentários:

  1. Parabéns, cara, pelos poemas no verbo 21.

    Ambos muito bons.
    ¡Hasta!

    ResponderExcluir
  2. Off topic: caro, se você conhece alguém que tenha o perfil desta seleção, repasse por favor o link do blog 416destinos.
    grato.

    ResponderExcluir
  3. Também quero essa puxação de saco.

    ResponderExcluir