sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

IdÍlio

Apressar a pressa
andar confuso, de bicicleta
e até tentar contar as voltas
incompletas

não sou atleta
e até penso
que assim vale a pena
pena que não saiba, deveras

sei dos versos apenas
sei que os versos apenas
voam quando ando de bicicleta.


2 comentários:

  1. Bom poema. Despretensioso, puro e único. Melhor assim que ensaiar "seriedades", "tons", "importâncias". Abraço, M.

    ResponderExcluir
  2. Poema belo, Georgio.

    Agora sei que mais do que prestando atenção ao trânsito quando de bicicleta você está poetizando.

    ResponderExcluir