terça-feira, 2 de dezembro de 2008

RUBAÌYÀT

RUBAÌYÀT



Bebo vinho... /Bebe-o também/ Todos aqueles que,/ igual a mim,/ É digno de encontra-lo...
Omar Khayyàm




Suaves aromas secretos,
Taças...

Quero brindar ao silêncio,
E a soma dos seus ecos...

Aos meus mitos particulares,
Meus inventários.

Brindar ao rubro,
que verte o único vinho
imaginário...

E ainda em silêncio
amigos ;
brindar ao vento,
imóvel,
que varre o verbo.

2 comentários: