sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Reflexos


CARTA

É o fim da guerra
ocultemos os mortos
louvemos seu inútil
heroísmo

Sagremos
as medalhas sem peito
e os rostos esquecidos

É o fim da guerra
busquemos os escombros
as ruas vazias

Olhemos os pássaros
seus presságios
pairando sobre os cadáveres
da guerra


sob os olhos de crianças
esquecidas

É o fim da guerra
e seus aços retorcidos...

É o fim da guerra...

Passos se afastam em silêncio”
Cai a carta de mãos cansadas...

4 comentários:

  1. Versos tristes... mas é muito mais triste ainda o que vemos.
    Lindo poema.

    ResponderExcluir
  2. O fim de uma guerra e o início de outra mentira. Muito bom, cara.

    ResponderExcluir
  3. já disse que adoro quando poemas me remetem à músicas? esse me levou à The Letter dos Box Tops.

    bjs

    ResponderExcluir