domingo, 1 de março de 2009

Mais um fotopoema



Caso não consiga visualizar melhor click na imagem.

4 comentários:

  1. no rio da vida, em alguns momentos deixo a correnteza me levar, em outros nado contra ela. que bom seria poder pegar um barquinho de vez em quando...

    ResponderExcluir
  2. Ô, Georgio!

    Que prazer tê-lo em meu blog! Fiquei bastante feliz com sua visita. Já deu para perceber que você é um artista das palavras e das imagens.

    Obrigado por me acompanhar. Também já estou te seguindo, bem de perto! (rsrsrs)

    Abração forte. Te espero lá!

    Pedro Antônio - A TORRE MÁGICA - www.atorremagica.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Se é assim, fato é que a humanidade nasceu de algum rio demasiado poluído.

    Gostei muito da última estrofe. Você tem umas sacadas bem interessantes, G'orge,

    ResponderExcluir
  4. "A vida que o onipotente nos concedeu é como a água que corre num rio. A água segue naturalmente as curvas ora suaves ora penosas. No caminho, a água se depara com as colinas, com as montanhas, com lindas flores do campo, com sujeiras, com obstáculos, mas ela segue o seu percurso até o fim."

    ResponderExcluir