quarta-feira, 6 de maio de 2009

E ainda poesia!


Como conter as palavras?
Estas águas que saltam como rio.

Como tanger seus rebanhos?
Há labirintos entre suas metáforas.

Como não escutá-las?
Suas profundas ondas em turbilhão.

Como?Eis que ruge
cada pergunta.

E as respostas?
Respostas prontas não respondem nada.
Para ouvi-las,
escutar o vento dentro de alguma concha.


IMAGEM:http://www.flickr.com/photos/serchswitch/2437734683/

3 comentários:

  1. esse barulgho de concha é pura poesia.Muito bom,Georgio.

    ResponderExcluir

  2. "escutar o vento dentro de alguma concha"como a adriana disse, dentro de uma concha murmura a poesia...

    beijos, georgio

    ResponderExcluir