sexta-feira, 22 de maio de 2009

Na estrada do Sertão profundo...


IN SERTANIS


Olhar entreaberto,
ocultando cores e aromas
estava perdida e te achaste,
envolta nestes mares
onde estas águas, éguas
líquidas que rompem as cercas
vagueiam,
onde a fluída forma
delineou segredos
de crinas, e secretas palavras
de galope...

Esta estrada há de abrir-se
em um mar dentro das entranhas
Sertânicas, dentro destes varedos...




2 comentários:

  1. Georgio,
    Vc recebeu o livro do Vestígios?
    Bjs,
    Renata

    ResponderExcluir

  2. Mesmo se eu não tivesse gostado do poema (não é o caso), diria que vc foi surpreendente:

    "onde estas águas, éguas
    líquidas que rompem as cercas
    vagueiam"


    Fantástico. Aliás, o poema é lindo, Georgio.

    Um abração pra vc.

    ResponderExcluir