domingo, 28 de junho de 2009

O Carro-de-boi


Longe o carro-de-boi
trás a sua cantiga.

Madeira sobre madeira
rangido,
as rodas rompendo
o barro.

Nesta sua viagem
leva conversas e prosas
as histórias de um povo
que teve as cordas do mundo,
e teve rasgado na pele,
as cores desprendidas
do sol.

O carro segue,
segue sua música
e a multidão das lembranças
avançam em sua
cega romaria.


IMAGEM:http://www.flickr.com/photos/vicious_love/3259341698/


sexta-feira, 26 de junho de 2009

Um poeminha...


-Nina,
-Fala tio,

-O que você vai ser quando crescer?
-Vou ser passarinho tio! Você sabe voar tio?
-?! ...

Quem fez este poema foi uma meninazinha de 3 anos.

terça-feira, 23 de junho de 2009

ESGRIMA


Corremos atrás das
cores,
em busca de fagulhas
e enigmas.

Construímos as fábulas
e enterramos tesouros
nos porões da infância.

Atiramos as bolas
que não desceram ainda,
e não descerão pelo que sei.


Nesta louca busca,

abrimos estradas entre os ponteiros.

Embalamos batalhas

nesta esgrima

em que abatemos os dias



IMAGEM:http://www.flickr.com/photos/unmoco2/3641959026/

sábado, 20 de junho de 2009

Sedimentos



É do barro, das águas fundas
que emana o homem.


Destas águas barrentas,
deste
verde regado a sal e sol
que se faz a bruta forma.

Destes desertos galhos brota
a seiva que nos nutre.
Nos conforta...

Resta mergulhar, neste rio
abissal que é
estar no mundo.


Ele já figurou aqui como fotopoema.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

PONTE




Sobre a velha ponte
fiz passar meus medos.

Em fila,
os tangi para o outro lado.

Um breve aceno,
uma despedida.

Pela outra
rua,
meus novos medos
chegavam...

E eu não abri a porta...


IMAGEM:http://www.flickr.com/photos/rolhas/2190349705/

domingo, 14 de junho de 2009

HAIKAIS PARA MINHA MÃE.


Dos braços
o lento embalo
que me dava sono


das tuas mãos,
fortes e cansadas,
o primeiro rumo


Sinto força
quando olho dentro
dos teus olhos


Do branco
dos teus cabelos
vi a neve primeira vez

Teceu
nas tuas mãos
todos os meus caminhos.



Estes são haikais que tem o único fim de presentear minha mãe, por seu aniversário e aos meus leitores queridos.


quarta-feira, 10 de junho de 2009

POBRE PARDAL


Na rua,
o pobre pardal
desavisado,
foi atropelado
por um carro
com sua
violenta pressa.

Um monte de penas,
apenas um bolo,
na manta negra.

O carro
seguiu seu caminho,
e o pardal,
em outras esferas,
agora
voa com pena do carro.



IMAGEM:www.flirck.com

domingo, 7 de junho de 2009

Ao amigo Carlos!!


CELEBRAÇÃO

( Para Carlos Barbosa

Eram dois
os pedaços.


Pouco do pouco
que se havia deixado.

Eram dois ,
os pedaços.

Projeção e
migalhas




quarta-feira, 3 de junho de 2009

Sobre o outono e as árvores




Não são os olhos das árvores
que vergam os galhos.


As folhas, e sua rebeldia,
deitam no chão,
o preço da pequena liberdade.

Nasce o outono,

o tom gris e a forma
invadem a casa e entram nos olhos

fazendo dormir ombros cansados.