quarta-feira, 10 de junho de 2009

POBRE PARDAL


Na rua,
o pobre pardal
desavisado,
foi atropelado
por um carro
com sua
violenta pressa.

Um monte de penas,
apenas um bolo,
na manta negra.

O carro
seguiu seu caminho,
e o pardal,
em outras esferas,
agora
voa com pena do carro.



IMAGEM:www.flirck.com

3 comentários:

  1. Tadinho do pardal!

    Bonito poema que nasce todos os dias, nesta cena!

    Belo!

    Parabéns, Georgio!

    Abração

    Mirse

    ResponderExcluir
  2. Tadinho do pardal!

    Bonito poema que nasce todos os dias, nesta cena!

    Belo!

    Parabéns, Georgio!

    Abração

    Mirse

    ResponderExcluir
  3. Asas e penas
    apenas pedaços

    Pardais e homens,
    maquinas humanas

    Nos que não voamos
    pardais atropelamos

    H.O.S

    ResponderExcluir