quarta-feira, 1 de julho de 2009

O mundo é uma porta aberta


Passamos,
pesamos os passos,
e nem pensamos que somos
feitos de fatos.

Há sempre uma porta
aberta,
uma ferida, que sangra
sem estancar...

Mais vejo o mundo da janela
e observo que nem sempre
o tempo passa:

-Não tenho relógios.

3 comentários:

  1. Georgio, é você ou o passaro que fala?

    Belo poema!

    Para mim, o tempo parou. já nem passa.

    Beijos

    Mirse

    ResponderExcluir
  2. Somos feitos de fatos até a morte. Daí pra frente fomos fato consumado.



    Muito massa, man.
    ¡adiós!

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema..., Georgio acho que um dos melhores... gostei muito..., um tom de lamentação no início com uma superação em seguida... rs

    ResponderExcluir