quinta-feira, 2 de julho de 2009

Oração


De quando leio Borges

Não é a fome de pão
que angustia:

é a fome de versos escritos,
e de livros lidos,
e de filmes
novos ou antigos
que rumino...

É a sede
que cerca os olhos
e que cega, sem que eu perceba que
estou nas dobras destes labirintos.

Que sempre deixa suas marcas
como o corpo
dum tigre preso nas raias da
sua
própria pele.


IMAGEM:http://www.flickr.com/photos/esparta/2214664744/




Um comentário:

  1. A fome e a sede de percorrer os olhos por uma página escrita é o que move nossas intenções.Amém.


    ¡hasta luego!

    ResponderExcluir