sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Um poeminha...

DA JANELA

Quando menino,
tinha por quintal o mundo,
um mar verde de algarobeiras em sombra.

O barro líquido da cacimba,
em turvo espelho, lhe mostrava o céu.

Centelhas do mundo.

Entendia dos pássaros,
das folhas,
bailarinas dos ventos, estas, eram de certa companhia.

De noitinha,
bebia do luar, todas as notas, das sertanejas sinfonias.

Um comentário:

  1. Acho que preciso viver num lugar mais bucólico pra escrever coisas bonitas como essas...

    ResponderExcluir