quinta-feira, 1 de outubro de 2009

COMPOSIÇÃO DA NOITE



Do espaço da casa a constelação de ecos. A profunda iluminação das telhas separadas sobre o madeiral da cumeeira. Há um mundo secreto de pequenas partículas que invadem as habitações. Muitas falem antes do pouso. E muitas imitam secretos e ínfimos diamantes na ânsia de cintilação, falsos brilhos desbaratados pelas nuvens. Falsas luminescências brotando dos poros das paredes. É extremamente preciso contemplar os preciosos avanços da música contenciosa dos grilos. Um quê de sinfônico habita o âmago destes seres de som e frágeis carapaças. Sua música pode tocar partes secretas do inconsciente poético de nós, pequenos espectadores da evolução sinfônica das noites.


Nenhum comentário:

Postar um comentário