domingo, 29 de novembro de 2009

Dois Poemas para celebrar o domingo e a Amiga Gerana.



GIRASOL


Para Gerana Damulakis


A flor do poema pede pássaros

Pede a música rara dos imensos temporais

Suas asas plásticas



(Seus solos)


Há música na flor do poema.

É possível ouvir os ventos

Invadirem os ouvidos,

leves...


Aqui , junto aos pardais,

é possível ouvir

o insistente silvar do vento

que anuncia:


Eis que vem Gerana

Com espadas de metáfora.





*****

AUSENCIAS


Chegará o dia de entrar

na casa

olhar as cadeiras,

e mesas


vazias,


Observar o mar do silêncio

que arruma a casa,


os ecos,


dos que deixaram

a casa.


Chegará o dia de ver

na casa

o espaço vazio

das janelas

o mato adentrando a porta...


E tudo.


Esta marcha de ausências,

o vazio

sílaba secreta

de certo norte

caberá na bússola de

dentro dos olhos.



4 comentários:

  1. Obrigada, Georgio. E, como é meu, vou levar para o Leitora.
    Tento entrar aqui, acompanhar sua poesia (que vc sabe, eu gosto), mas aparece uma chave, pede senha, o jeito é ir embora.
    Estou encantada, gracias.

    ResponderExcluir
  2. Então é este o jovem criativo que homenageou a amiga Gerana!Belos os poemas, muito belos. A Gerana bem merece. A homenagem é linda.
    Gostei de ler e voltarei sempre, para isso vou levar o link.
    Beijito

    ResponderExcluir