segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Neste dia, mais um poema!



ELUCUBRAÇÃO


Enquanto posso penso,

Como um rio de largos

Passos.


Como a evolução

Vulcânica dos pássaros,

No alumínio das estrelas.


Terço o plástico brilho das flores

o púrpura, das portas abertas.


A insignificante luz do fim do túnel

a vela e o lume

a pequena fenda, ensaios repletos

na ânsia da tarde que precipita a evolução

do escuro.




IMAGEM:http://www.flickr.com/photos/mirobatista/3094581824/




3 comentários:

  1. Que poema mais lindoooooooo!!! Trabalhas bem as palavras!
    Gostei, vou passear por aqui mais vezes...Parabéns!
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Passei pela sonoridade das palavras, ouvi os significados mudos em mim projetados por elas, e estou ainda parada olhando cada palavra desse anoitecer divino que projetastes aqui...Gosto de qundo um texto me deixa muda...

    abraços

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, Georgio!

    Parabéns, amigo! Gosto de te ver cada dia mais brilhante!

    Beijos

    Mirse

    ResponderExcluir