quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Estrada



Deixei para trás os chinelos

deixei os passos, no batente deste dia

de cores varias

de cheiros de indecifrável forma


Nas árvores da minha infância

há chuva de imagens que não decifro


vejo

o inferno dos outros no espelho

da velha sala de espera dos dias


atrás da porta um velho mar de

coisas guardadas na gaveta da memória


restos de lembrança e ventos

movem o mar que trago dentro


dos olhos!


4 comentários:

  1. Lindissimo poema.
    Que 2010, te traga tudo o que desejas.

    Beijinhos

    sonhadora

    ResponderExcluir
  2. O imaginário deste poema é excelente.
    gostei muito!
    beijinho

    ResponderExcluir