domingo, 5 de setembro de 2010

X Haicais escritos agora.

I
entre as mãos
um mar de lembranças
migalhas de pão

II
a tarde despenca,
o sol, agora pouco arde
nas folhas de avenca

III
ainda há pássaros
vagando entre sombras
vida por entre os galhos

IV
o mesmo prato
observa tua imagem, nua
cheia e alta a lua

V
é domingo
a sombra de algum prato
ante os olhos do gato

VI
no mundo aberto
lá fora, aflora, sem pressa
a pitangueira

VII
ouço os pios
o som das asas vem
pássaros anunciam a noite

VIII
dois planetas
os olhos da minha filha
negros glóbulos

XIX

chove na tarde
algumas gotas voam
pousando em tua boca

X
pesam os olhos
infinitas estradas distantes
partículas de poeira

5 comentários:

  1. Georgio!

    Você sabe que eu não resistiria! Amo Haikais e estes estão divinos!

    Bravo, poeta!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  2. haicais
    que não caem, nem deixam
    a peteca cair


    ¡hasta luego!

    ResponderExcluir
  3. De uma sensibilidade maravilhosa!
    Beijo

    ResponderExcluir