quinta-feira, 4 de novembro de 2010

POEMAS POEMAS SEMPRE OS POEMAS!


COSMICAS

As vezes me acuso de
escrever poemas,
assim como quem colhe flores
ou semeia árvores, pássaros.

Assim como quem tira coelhos
da cartola
ou solta bombas nos transeuntes
ou ouve o som de Chaplin ao violoncelo.

As vezes me acuso de escrever poemas,
Destes que se ouvem na rua,
e é quando os pássaros me acordam. 

6 comentários:

  1. Belíssimo, Georgio!

    Os pássaros acolhem poetas como você!

    Tal a candura dos versos!

    Beijos, poeta!

    Mirze

    ResponderExcluir
  2. De ve em quando me acuso de escrever Poemas. Muito mais vez que quando. Nessa hora, paro, penso e percebo que sangro.

    Beijos


    Chocolat Glacé

    ResponderExcluir
  3. pássaros voando cosmogonicamente, esperando que uma bomba caia em suas cabeças.


    sublime
    muy bueno

    ResponderExcluir
  4. Continue a fazer os seus poemas, liberta a sua alma e alegra os nossos corações!

    ResponderExcluir