segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

2011, primeiro poema! Depois da labuta raios de luz!














SONATA

 
Como na calva das nuvens
Desabam em atrevidos trinados
Afinados bem-te-vis

Na sinfonia dos galhos
Sustenidos pardais
chilram  em suave conversa

Folhas invadem a janela
Há luz em meu quarto 
infestado de bemóis.



                                                          

4 comentários: