sexta-feira, 8 de abril de 2011

Uma sábia lição, um pequeno poema.


“A inteligência pouco tem a ver com a poesia. A poesia surge de algo mais profundo; está além da inteligência. Talvez não se ligue nem à sabedoria. È uma coisa à parte; tem uma natureza à parte. Indefinível”
 Jorge Luis Borges



MÍMICA
Pousa como pingo
Nas infindáveis flamas
A metáfora e o ritmo
Cada rito
Escadas e chamas
Todas estas espadas, aladas,
Cabem no vão da poesia.  

5 comentários:

  1. "Na lata do poeta tudonada cabe" já dizia Gilberto Gil. Muito bom o poema, amigo Georgio. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Excelente Georgio!

    Veio alegrar meu sábado. Borges tem toda razão.

    Beijos, poeta!

    Mirze

    ResponderExcluir
  3. Jorge Luis Borges...agora apanhou-me! É um dos meus autores favoritos.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. "Apanhou-me" nesse post também!

    ... cabem tantas coisas quanto consigamos pensar, ou até mais.


    Grande abraço

    ResponderExcluir
  5. GEORGIO!

    Vim avisar Que estás no Meu Lampejo por uma semana. Até coube o sapinho, Mas se quiser que mude algo é só me avisar.

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir